TJDFT determina inserção no IR e restituição de valores descontados a aposentado com alzheimer

Tjdft 1 - Contabilidade em São Paulo | Pizzol Contábil

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Especialista explica que algumas doenças são aceitas pela jurisprudência dos Tribunais com mais facilidade, como a demência, psicoses esquizofrênicas e paranoia

No dia 1º de junho, foi publicado o acórdão prolatado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) que reconheceu a isenção de imposto de renda a servidor público aposentado portador do mal de Alzheimer, além de condenar o Distrito Federal e o Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal — IPREV a restituir os valores indevidamente descontados dos proventos desde a data do diagnóstico da doença.

O Desembargador Teófilo Caetano ressaltou que, a despeito de a doença que acomete a parte autora não estar elencada no rol taxativo do art. 6º, inciso XIV, da Lei n. 7.713/88, é evidente que o mal de Alzheimer implica na alienação mental da pessoa afetada, a qual está compreendida na disposição legal.

O advogado Paulo Liporaci, especialista em Direito Administrativo e sócio do escritório Paulo Liporaci Advogados, explica que a peculiaridade referente à alienação mental prevista na norma consiste no fato de que essa não se constitui como uma doença em sentido estrito, mas em estado cuja constatação depende de um diagnóstico médico específico e afirmativo. Assim, “é necessário que primeiro se reconheça a existência de uma patologia e, depois, verifique-se a sua conformação à hipótese legalmente estabelecida.”

Paulo Liporaci ainda esclarece que o deferimento da isenção dependerá de certos fatores, mas, em regra, algumas doenças são aceitas pela jurisprudência dos Tribunais com mais facilidade, como: estados de demência (senil, pré-senil, mal de Alzheimer), psicoses esquizofrênicas nos estados crônicos e paranoia e parafrenia também em seus estados crônicos.

Assim, aposentados e pensionistas portadores de doenças graves que se encaixem nessa gama de moléstias podem requerer esse benefício fiscal a qualquer momento perante o Poder Judiciário.

Processo n. 0701465-79.2020.8.07.0018

Fonte: It Press Comunicação

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Back To Top

Acesse aqui sua Área do Cliente

Estamos cientes de toda a situação em que nosso país e todo o mundo se encontra, e sabemos que agora é um momento de prezar pela saúde e segurança de todos. Por isso, estaremos funcionando dentro do regime de trabalho home office.
Qualquer coisa que você precisar, é só entrar em contato pelo nosso telefone ou e-mail!
Celulares / WhatsApp:
Contábil e Fiscal: (11) 93371-0757
Dep. Pessoal: (11) 99304-7324
Financeiro e Adm.: (11) 97688-4043
E-mail: contato@pizzolcontabil.com.br
Open chat